A história da Garda. Policia Irlandesa

Garda Síochána é o serviço nacional de policia da Irlanda. A Missão da An Garda Síochána é trabalhar nas comunidades para proteger e servir. É bem comum em Dublin, você perceber a Garda em todo local, seja de carro, moto, em cavalos e até mesmo a pé para manter a ordem da cidade. O interessante é que eles não utilizam armas de fogo, como estamos acostumados no Brasil, mas são bem conhecidos pela fama de serem agressivos quando existe a necessidade.

 

A_história_da_Garda_4

Reprodução Google

Hoje, An Garda Síochána é uma organização baseada na comunidade com mais de 14.500 funcionários Garda e civis, servem a todos os setores da comunidade. Mas, com a criação do Estado Livre Irlandês em 1922, a Polícia Metropolitana de Dublin fundiu-se com a recém-criada An Garda Síochána, em 1925.

Com sede em Phoenix Park, em Dublin, representando todos os condados da Irlanda, ouvindo, agindo e trabalhando pela nação Irlandesa. A atual Comissária Garda é Noirin O’Sullivan, a primeira mulher a liderar em 92 anos de história.

Algumas das funções essenciais da An Garda Síochána incluem:

A detenção e prevenção do crime;
Garantir a segurança da nação;
Reduzir a incidência de lesões fatais e graves nas estradas e melhorar a segurança rodoviária;
Trabalha com as comunidades para prevenir o comportamento anti-social;
Abordagem inter-agências para a resolução de problemas e melhorar a qualidade de vida global.

An Garda Síochána tem uma longa tradição de trabalhar em estreita colaboração com as comunidades em toda a Irlanda. Ao promover e manter parcerias eficazes das mesmas e garantir uma presença mais visível, trabalham para conseguir redução nos crimes.

Antes, existia uma força básica, a polícia era conhecida como a preservação da Força de Paz. Esta tinha sido criada em 1816 através de um ato do Parlamento de Westminster. Este ato foi patrocinado por Robert Peel, o secretário da Irlanda. Em 1836 a Polícia irlandesa (que viria a ser conhecido como o Real Irish ConstabularyRIC) e da Polícia Metropolitana de Dublin (DMP) foram estabelecidos para substituir o County Constabulary. Em 1900 o RIC tinha cerca de 11 mil homens estacionados em cerca de 1.600 quartel. Ataques à RIC foram generalizados, quer nos seus quartéis ou enquanto em patrulha.

Após a Guerra Civil e da trégua de julho de 1921, o RIC dissolvia e uma nova força policial, “A Guarda Cívica” (rebatizado de Garda Síochána na Héireann em 8 de Agosto 1923) foi formado por Michael Collins (foto abaixo) e do Governo irlandês. O DMP se fundiu com a An Garda Síochána, em 1925.

 

A_História_da_Garda_2

Reprodução Google

O Castelo de Dublin, o centro do domínio britânico na Irlanda por quase 700 anos foi formalmente entregue em 17 de agosto de 1922, quando o Comissário Michael Staines levou sua nova força policial através dos portões do castelo. Cinco dias após a entrega do Dublin Castle (Castelo de Dublin), Michael Collins, que orquestrou a morte do RIC e da criação da Guarda Civil foi morto a tiros em Béal na Mblath.

 

A_Historia_da_Garda

Foto: Livro – A Guerra Civil Irlandesa

 

Foto retirada do livro – A Guerra Civil irlandesa por T.P.Coogan e George Morrison

O subtítulo lê -se

“140. Num piscar de olhos, a Polícia republicanos desarmados tinha sido substituído por um novo corpo, a Guarda Cívica, o primeiro contingente é visto em 17 de janeiro, um dia após a entrega do Dublin Castle, marchando para assumir suas funções.
Seguindo o precedente da Polícia republicanos, este corpo também deveria ser desarmado como nosso Siochana Garda (Polícia) é hoje “.

O Museu e Arquivo da Garda estão localizados na Torre Record, Castelo de Dublin. Os visitantes encontrarão uma exposição interessante sobre a história da An Garda Síochána e informações sobre policiamento na Irlanda antes de 1922. Entre os artefatos do museu estão fotografias e documentos descrevendo a história e o desenvolvimento do policiamento na Irlanda nos séculos XIX e XX. A biblioteca do Museu contém uma série de publicações relacionadas com a polícia muito interessante.

Foto de capa: Reprodução Google

Co-Fundadora e Ceo do Europamos. Mãe do Pedro, Carioca que fala "bixcoito" e portuguesa com muito orgulho. Publicitária, Pós Graduada em Gestão Empresarial e apaixonada em viajar, tem como meta dar a volta ao mundo. Mas por hora, encara o maior desafio da sua vida junto com a sua família na Irlanda.