tap

TAP vai ter tarifas low-cost

Investimento de 40 milhões pela Tap em novo tarifário inclui aumento de 12 a 16 lugares oferecidos por avião nos voos para Europa e Norte de África

A TAP Portugal lançou hoje o seu novo modelo tarifário, modelo cuja estrutura pretende disponibilizar maior flexibilidade de escolha e de preços aos passageiros. Este novo tarifário, promete a companhia aérea, permitirá reduzir preços entre 34% e 53% nos tarifários mais baratos, de acordo com as simulações feitas pela própria TAP. A lógica da transportadora é transformar os cinco tipos de tarifas que já oferece em opções customizáveis, incluindo nestas uma opção low-cost mas sem, no entanto, tornar-se numa. As refeições, por exemplo, estarão sempre incluídas.

O modelo que a transportadora hoje oficializa envolveu o trabalho das equipas de Marketing, Vendas e de Rede e Pricing da companhia aérea, tendo obrigado a um investimento de 40 milhões de euros, tanto em horas de trabalho como na realização das alterações necessárias à configuração dos A319, A320 e A321 que fazem os voos europeus e para o Norte de África da TAP – Argélia e Marrocos – para transportarem mais 12 a 16 passageiros. Estes são os únicos voos visados pelas novas tarifas. Para o longo-curso, novidades talvez só para o ano.

As vendas da TAP já vão disponibilizar a partir de hoje este novo modelo, agora com seis tarifas já que com uma nova opção para a classe executiva. Estes novos tarifários só estarão disponíveis para voos a partir do próximo 1 de outubro. Paula Canada, diretora de marketing da TAP, explicou ao Dinheiro Vivo que estes novos tarifários surgiram da ideia de oferecer aos passageiros a oportunidade de “escolher como quer voar, com uma lógica de menus para escolher serviços, espécie de ‘à la carte’”.




No caso dos tarifários mais baratos oferecidos pela TAP, o “Discount”, isto significa que estes bilhetes ficarão, de base, mais baratos: “O Discount passa a incluir apenas bagagem de mão [até 8 kgs], e estimamos uma redução média de 34%” nos preços, diz a mesma responsável. Mas e se quiser o “Discount” e levar bagagem de porão consigo? “É ir ao menu e acrescentar essa opção.” Contudo, alerta Paula Canada, aí já terá que ter atenção se não valerá mais a pena ponderar logo na aquisição de um bilhete no tarifário seguinte, o “Basic” que, incluindo logo à partida essa possibilidade, pode acabar por ficar mais em conta do que o “Discount” acrescido dessa opção. “Tarifas à medida das necessidades” Além da questão das bagagens, o menu que cada tarifário inclui vai crescendo à medida que viajamos pelos diferentes tarifários da transportadora. Na “Discount”, e além da bagagem de mão, está apenas incluída a refeição de bordo, o acesso ao kiosk digital, o check-in online e a atribuição de 10% das milhas da viagem. Já no “Basic”, as milhas contam a 40% e tem direito a levar uma bagagem de mão e a alterar a reserva mediante pagamento, além de tudo o que já está incluído na anterior.

Depois segue-se a “Classic”, que, além de incluir tudo o que está nos tarifários anteriores, acrescenta ainda a reserva prévia de um lugar, além de 70% das milhas. E assim sucessivamente… Avançar para este tipo de modelo tarifário, diz Paula Canada, foi, no fundo, uma decisão da TAP em acompanhar o mercado de aviação europeu, “que tem apostado numa maior diferenciação e de oferta de opções de escolha aos passageiros”. Mas a decisão responde também a um desejo de posicionamento da companhia aérea:

“Não ser low-cost, daí a manutenção do serviço de refeições, a oferta de jornais a bordo, de voar para os principais aeroportos.”

A ideia é ter uma oferta também low-cost mas não unicamente desse sentido. Conforme explica a companhia aérea em comunicado, esta nova tarifa “Discount” aposta num preço low cost muito competitivo, com um serviço diferenciador em relação ao mercado, que inclui refeições e bebidas, milhas, quiosque digital com acesso a jornais nacionais e internacionais e revista de bordo.

Independentemente da tarifa escolhida, os clientes podem também adquirir serviços extra. Sobre o modelo, diz a TAP, este representa a “criação de tarifas feitas à medida das necessidades de cada cliente, o qual poderá escolher, de forma fácil e transparente, a opção que melhor serve o propósito da sua viagem e mais se ajusta ao que precisa”.




Mais lugares por avião, mas as mudanças não se vão cingir ao modelo tarifário, já que a TAP vai avançar igualmente com alterações às configurações dos aviões que fazem as ligações para a Europa e Norte de África, de modo a reforçar a oferta de lugares de “Discount”, até agora limitados a um certo número. De acordo com a diretora de marketing da empresa, os Airbus A319 e A320 da companhia irão ter capacidade para oferecer mais 12 lugares por viagem e o A321 até mais 16 lugares. Estas alterações à configuração dos aviões deverão resultar num menor espaço entre os lugares situados na parte traseira do avião, dedicadas às três primeiras classes tarifárias. Estes investimentos nos aviões, porém, vão um pouco mais longe. Nos 40 milhões deste programa estão também incluídos o avanço de melhorias nos interiores de cabina dos aviões, visando “proporcionar mais conforto e uma melhor experiência de viagem”.

 

Fonte: Dinheiro Vivo

Foto: Andreas Traxler

 

Co-Fundadora e Ceo do Europamos. Mãe do Pedro, Carioca que fala "bixcoito" e portuguesa com muito orgulho. Publicitária, Pós Graduada em Gestão Empresarial e apaixonada em viajar, tem como meta dar a volta ao mundo. Mas por hora, encara o maior desafio da sua vida junto com a sua família na Irlanda.