Um blog com dicas e experiências sobre viagens pela Europa. Aqui contamos a nossa historia :-)

Grávida na Irlanda e a primeira consulta

gravida na irlanda
120

Enjoos, sonolência, indisposição e cólicas são os sinais que vêm bebê pela frente. Grávida?

Eba! Já posso imaginar aquele cheirinho, mãozinhas e pezinhos minúsculos deixando todos apaixonados e com vontade de morder… Mas, imediatamente lembro que estou na Irlanda, longe da minha família, do meu médico, isto é, do meu conforto. E agora?

Depois que descobri a gravidez através de 2 exames de farmácia, sim, foram 2 para ter a certeza do PO-SI-TI-VO! O segundo passo foi marcar uma consulta com a minha GP (leiam esse post sobre a saúde na Irlanda, como funciona e o que é o GP) para o dia seguinte.

Chegando lá, a médica já possuia todos os meus dados, histórico familiar e meus exames de sangue recentes, então, apresentei as fotos dos testes de farmácia e ela disse: Parábens mamãe! Eu agradeci e perguntei pelo exame de sangue, como estava acostumada no Brasil e ela disse: Não precisa! Esses exames são bem eficientes e você ainda fez 2!!!

Ela aferiu minha pressão, perguntou como estava me sentindo e no meu caso com a tireóide “em ação”, ela precisou me explicar os cuidados e tratamento que eu precisava ter para uma gravidez saudável.

Em seguida o papo foi sobre qual o sistema de saúde eu escolheria: Público, semi – público e particular, assim como o hospital.

Eu optei o Rotunda, um hospital localizado no centro, muito escolhido pelas mães (já tive muitas amigas tanto brasileiras como irishs que optaram por ele e com bons feedbacks), então eu e o meu marido batemos o martelo para ele. 😉

A própria GP marcou para mim (o comum é que as gestantes marquem) a minha primeira consulta lá e pasmem, só quando eu completar as 12 semanas.

Primeira consulta no hospital

Primeiro gostaria de dizer que após ter marcado no Rotunda, o próprio hospital enviou uma carta para minha casa com o horário da marcação, endereço, procedimentos e ainda orienta para outros itens, tais como:

  • Chegar com 30 minutos de antecedência;
  • Beber 500 ml de água 1hora antes da consulta;
  • De preferência não levar crianças (Caso você tenha outros filhos).

Eu e meu marido chegamos com 1h de antecedência, o que foi bom, pois me deparei com muitas gestantes. Nos dirigimos para a recepção, foi feita uma ficha e algumas perguntas foram feitas como:

  • Nacionalidade;
  • Se trabalha ou não;
  • Confirmar dados pessoais, o endereço e nome do GP.

Feito isso, os próximos passos foram para 3 procedimentos:

  • Ultra
  • Consulta com a midwife
  • Exames de sangue, aferir pressão e peso

Ultra

A primeira ultra é feita com 12 semanas e o processo é bem rápido.

Meu marido entrou junto comigo e a primeira pergunta foi: Podemos filmar? Tirar foto? Infelizmente a resposta foi negativa, mas, a funcionária logo respondeu que no final ela imprimiria 3 fotinhos.

Sobre o sexo do bebê ainda é muito cedo para saber e a próxima ultra será com 20 semanas.

Consulta com a midwife

Entramos em uma salinha e nesse momento ela pediu para que meu marido esperasse em um banco do lado de fora da sala. Foram muitas perguntas, desde da minha alimentação até se eu sofria algum tipo de abuso em casa.

Exames

Após a consulta com a midwife, recebi algumas fichas para os exames de sangue que fiz lá mesmo no hospital. Aferiram a minha pressão e checaram o meu peso.

E a translucência Nucal?

Após ter feito os processos, caiu a minha ficha sobre um exame que havia feito no Brasil na minha última gravidez, a translucência nucal, então fui perguntar quando faria e me surpreendi quando obtive a resposta: Esse não é um exame de rotina, só é feito no particular e custa 250 euros. Oi?

Claro que pela minha ignorância nessa área, achei um absurdo! Mas pesquisando aqui, conversando com profissionais da área acolá, entendi que a probabilidade de detectar alguma anomalia é pequena e que a próxima ultra, a morfológica, terá uma precisão melhor em detectar alguma má formação do bebê e a boa notícia é: Esse exame entra como “rotina”.

Continuando, voltei na recepção e ganhei uma nova fichinha com as próximas marcações, os horários e dias foram marcados pelo próprio hospital.

Ah! O dia que eu fui no Rotunda, estava sendo implantado um novo sistema e o tempo total entre ultra, consulta e exames foi de umas 3 horas, o que é de costume, em torno de 2 horas.

Meu ponto de vista

Quem já teve filho no Brasil e está acostumado com o sistema de saúde de lá, pode se sentir um peixe fora d’ água quando se depara com um novo formato, não que seja ruim, mas simplesmente é Diferente.

As comparações são inevitáveis, mas pensei cá com os meus botões, as mulheres por aqui possuem uma média de 3, 4 filhos cada uma, a grande maioria escolhe pelo sistema público (muito comum por aqui), ora bolas, não pode ser ruim.

E às vezes também nos moldamos em um sistema que sem que percebamos existem falhas, mas nos acostumamos.

O fato é … Morar em outro país requer buscar muitas informações e estar com a cabeça aberta para esse novo formato. 😉

 

Comentários